segunda-feira, 27 de julho de 2009

França

Finalmente cheguei ao estrangeiro! Pensei eu a primeira vez que lá fui, ainda garota… Paris! Que maravilha! Depois sucessivas vezes, uma dúzia pelo menos, a última este ano. Os Castelos do Loire, a Bretagne, a Normandia, a Côte d’Azur, a Provence, a Camargue, Alsácia, Aquitaine… Ao Futuroscope fui quatro vezes, adorei aquilo! Parque Europeu da Imagem em constante actualização, há sempre alguma novidade em termos de imagem, de filmes e a arquitectura dos pavilhões é extraordinária. E convém praticar o francês para não esquecer. Bolsa de estudos em Avignon.

Paris: Jardim do Luxemburgo, Concorde, Louvre

Paris: rio Sena, Torre Eiffel, igreja Saint Sulpice

Disneyland, Dieppe, Normandia

Monte Saint-Michel
A história da Abadia do monte Saint-Michel remonta ao ano 708, quando o bispo de Avranches mandou construir um santuário em honra a São Miguel Arcanjo. No século X os monges beneditinos instalaram-se na abadia e uma pequena vila foi-se formando a seus pés. Após a dissolução das ordens religiosas ditadas pela Revolução Francesa de 1789 até 1863 o Monte foi utilizado como prisão. A abadia no topo do morro fica 78 metros acima do nível médio do mar.

Mont St Michel
 
Bretagne, Quimper, castelo de Concarneau

Carnac, Tours, casas trogloditas

As Rochas de Carnac são uma fileira de 3000 monólitos que foram erguidos no período neolítico, talvez por volta do ano 3000 a.C.

Loches, castelo de Chenonceau

Visita aos Castelos do Loire por duas vezes, em 2003 no Verão (e que torreira!) e em 2004 no Inverno, altura em que também fui apreciar as montras de Natal em Paris e a Disney…

Castelos de Amboise e Clos Lucé

O castelo de Amboise, construído num promontório com vista para o Loire de forma a controlar um estratégico vau, começou a sua vida no século XI, quando o notável Fulque III o Negro, Conde de Anjou, reconstruiu a fortaleza em pedra. Como convidado do rei, Leonardo da Vinci chegou ao Castelo de Amboise em Dezembro de 1515, tendo vivido e trabalhado no vizinho Clos Lucé, ligado a este por uma passagem subterrânea. O seu corpo encontra-se sepultado na Capela St-Hubert, anexa ao castelo. 

Capela de St Hubert; Da Vinci e o seu tanque de combate

O castelo Clos Lucé foi a residência de Leonardo da Vinci nos últimos três anos da sua vida. Tanto no interior como no parque do castelo é possível ver a arte e as múltiplas visões deste génio da Renascença que vão desde a engenharia civil e militar, à botânica, arquitectura, anatomia, pintura, poesia, etc. 

Poitiers, Futuroscope

Ponte e vista aérea da ilha de Ré

Saint-Martin-de-Ré

Primeiro visitei a ilha de bicicleta, no ano seguinte fomos lá de autocarro. Que grande responsabilidade a nossa! E não faltou uma refeição colectiva em La Rochelle no restaurante "Le soleil brille pour tout le monde", após a visita ao Aquarium. E tudo correu lindamente.

La Rochelle, cais do bus de mer (táxi de mar)

Rochefort, Bordeaux

Duna de Pyla

Les Deux Jumeaux, Hendaye

Lourdes, Carcassonne

Vem de longe o gosto pelo backpacking...
Giens (Hyères), St Tropez

Nice, Avignon

Visitei a região de Avignon, incluindo a Camargue, com outras bolseiras, de diferentes nacionalidades, no ano 2000. No carro de uma delas, alemã.

L'isle sur la Sorgue

Les Baux-de-Provence

Saint-Rémy-de-Provence, Pont du Gard



 










Arles (igreja St Trophime), Nîmes




Saintes-Maries-de-la-Mer
As três santas Maria Madalena, Maria Salomé e Maria Jacobé, cujas relíquias são o foco da devoção dos peregrinos, são consideradas as primeiras testemunhas do túmulo vazio na ressurreição de Jesus. Depois disso embarcaram em Alexandria, no Egipto, com seu tio José de Arimatéia, tendo chegado, de acordo com a lenda francesa, à costa de França onde hoje se situa Les Saintes-Maries-de-la-Mer. 

É um destino de peregrinação para os ciganos que se reúnem anualmente na cidade para um festival religioso em homenagem a Santa Sarah, uma santa de pele escura, conhecida, segundo alguns, como a filha de Maria Madalena, e também conhecida como Sara-la-Kali (Sara, a preta). 

Aigues-Mortes
Camargue

Strasbourg 

Em 2005, na altura em que me deram resposta afirmativa concedendo mais uma bolsa de estudos, já tinham acabado as inscrições para o curso de Verão que pretendia frequentar em Strasbourg. De qualquer modo fui lá visitar a cidade e daí segui para a Alemanha...



2 comentários: