sábado, 1 de agosto de 2009

Áustria e Hungria

Avião para Viena, depois seguimos de autocarro para Budapeste, na Hungria. O périplo continuou com a travessia da Eslováquia em direcção à Polónia. Regresso pela República Checa e novamente Viena.

ÁUSTRIA

Viena conta com uma particularidade arquitectónica que foi denominada Ringstrasse e foi idealizada e construída no século XIX, influenciada pelo nascente modernismo, marcando uma mudança paradigmática no que era o planeamento urbano de então. É cortada pelo rio Danúbio, um dos maiores símbolos da cidade e de essencial importância para a economia vienense.

Viena, Catedral

A Catedral de Saint Stephan (Stephansdom) é uma das maiores catedrais góticas medievais que remonta ao século XI e abriga supostamente os restos mortais dos Três Reis Magos.

Opera, Karl Platz, Stadtpark

A cidade é um importante centro de música erudita muitas vezes mencionada como a Cidade dos Músicos. Foi a cidade natal de diversos escritores, compositores e artistas em geral, destacando-se entre eles Strauss e também Freud.

 
Palácio Schönbrunn

Viena tem vários palácios, como o Palácio de Schönbrunn que, com os seus jardins, ilustram os gostos, interesses e aspirações dos sucessivos monarcas da Casa de Habsburgo. Os salões do palácio amarelo lembram o tempo em que aí viveu Sissi, esposa de Francisco José, Imperatriz da Áustria e Rainha da Hungria.

Kursalon

À tardinha assistimos a um espectáculo das famosas valsas vienenses no Kursalon e, em seguida, fomos jantar a uma típica taberna de Grinzing.
 
Grinzing

O Império Austro-Húngaro foi um vasto e importante Estado europeu, sucessor do Império Habsburgo. Resultou de um compromisso entre as nobrezas austríaca e húngara, em 1867, e foi dissolvido em 1918, após a derrota na Primeira Guerra Mundial, conforme as exigências do Tratado de Versalhes.


HUNGRIA

Budapeste foi fundada em 17 de novembro de 1873 com a fusão das cidades de Buda, na margem direita do Danúbio, com Peste, na margem esquerda. Os seus habitantes chamam-se budapestinos. Em 1541, Buda e Peste caíram sob domínio otomano e a primeira passou a ser a sede de um paxá turco. A área foi reconquistada pelos Habsburgos em 1686. Ao longo dos séculos XVIII e XIX, Peste cresceu rapidamente e tornou-se um centro comercial.

Igreja Matias, Bastião dos Pescadores

Em Buda situa-se a Igreja de Matias, com 700 anos, onde os reis eram coroados. O telhado é feito de cerâmica em mosaico colorido, uma obra de arte. Ao lado da igreja há um terraço construído no final do século XIX, o Bastião dos Pescadores, de onde se tem uma espectacular vista de Peste, no outro lado do rio Danúbio. Há 5 torres redondas que representam as tribos magiares que formaram a Hungria. O nome tem origem no antigo mercado de peixe que existia nas proximidades durante a Idade Média.

Ponte das Correntes, Parlamento

Daí avista-se a famosa Ponte Széchenyi (Ponte das Correntes) e, ao fundo, o Parlamento da Hungria, talvez o mais famoso edifício da cidade, no seu sumptuoso estilo neogótico de grande dimensão.

Praça dos Heróis, cruzeiro, dança típica

E não faltou um cruzeiro no Danúbio com um buffet cheio de comidinha apetitosa. À noite, jantar acompanhado de espectáculo de música cigana e dança folclórica.


1 comentário: